search
top

Resultados Repartir

Resultados do atendimento da Repartir – Associação de Apoio às Crianças do Hospital Municipal Jesus:

Conheça um pouco de nossas famílias:

Isac é um menino é portador de rinite alérgica, que vive com a mãe, o avô materno e três irmãos menores. A família vem sendo atendida na Repartir desde janeiro de 2006. Na ocasião, a renda familiar era proveniente apenas da aposentadoria do avô, no valor de R$350,00. Com a intervenção da Repartir na vida da família, a renda está quase dobrando pois, além de suprirmos as necessidades da criança com a doação de medicação, vacinas e gêneros alimentícios, também encaminhamos a mãe ao curso de culinária na Ong Solares. Logo após a sua capacitação, ela passou a fazer bolos, pães e salgados, o que lhe proporcionou o crescimento financeiro da família. Visando propiciar a inclusão social, a encaminhamos ainda aos serviços públicos, como a Defensoria Pública, para obter pensão alimentícia, e a Secretaria de Saúde, para a aquisição de vacina que ainda é de uso constante para Isac. O quadro clínico do menino melhorou muito com o aumento da qualidade de vida atual da família. Isac está na creche e seus irmãos estão na escola. Até mesmo a mãe retornou a estudar para concluir o ensino médio.

Adrielle possuía hepatite medicamentosa e vivia com sua mãe em uma casa em condições precárias, que não resistia a uma chuva. A REPARTIR apoiou esta família, doando, além da cesta básica fornecida pela madrinha, itens básicos como ventilador, colchonetes e cobertores. A mãe de Adrielle participou de oficinas de fuxico e, após entrevistas com a assistente social, foi matriculada no curso de cabeleireiro da Renascer, tendo as passagens pagas pela REPARTIR para que ela pudesse comparecer às aulas. Conseguimos também doar os tijolos e a porta, necessários para a reforma básica da casa. Adrielle conseguiu se recuperar muito bem da doença e está fazendo tratamento dentário apresentando boa evolução. Não chove mais dentro de casa e, com a ajuda do Repartir, a mãe está se desenvolvendo muito bem, fazendo crochê, unhas, cabelos e trabalhos artesanais em fuxico. A mãe diz estar muito feliz com tudo o que recebeu da Repartir e do Projeto madrinha e já está matriculada para voltar a estudar no ensino fundamental.

Lucilene da Silva Maia, moradora de Itaguaí, é mãe de Jéferson, de 12 anos. Há quase um ano, Jéferson está sendo acompanhado pelo setor de reumatologia onde faz um tratamento para uma febre reumática no coração. Luciene, que além de Jéferson tem mais 3 filhos, recebe além de cesta básica, produtos para revender. Ela mesma declarou: “Para mim, foi muito bom conhecer a REPARTIR. Aqui eu ganhei colchões, ventilador e doces, que eu revendo e compro mais para tornar a revender. E é daí que tiro meu sustento e dos meus filhos. Muitas das vezes, não tinha dinheiro nem pra comprar pão.”

Marcela Ribeiro de Oliveira, moradora do Jacarezinho, é mãe de Patrick , de 8 meses. Começou o tratamento de Patrick que tem uma tuberculose granular, em novembro do ano passado. Em março foi encaminhada para a REPARTIR, pois sua dificuldade financeira é muito grande. Recebe leite e cesta básica e muitas das vezes até ajuda para a passagem, para que possa continuar o tratamento de Patrick. Além dele tem mais 2 filhos. Também está inscrita para o curso de crochê e é muito grata por tudo que tem recebido da REPARTIR.

Celinda Azevedo da Silva, moradora de Belford Roxo, é mãe de Amorelly, de 5 anos. Há 2 anos freqüenta o Hospital Municipal Jesus onde trata Amorelly que tem problemas neurológicos e asma. É uma pessoa muito otimista, apesar das dificuldades. Ela fez um depoimento muito emocionante: ” A REPARTIR me trouxe muito amor, mais vontade de viver. Eu era uma pessoa triste e só vivia chorando pelas dificuldades financeiras. O primeiro contato com a Ana Lucia já foi muito bom, pelo carinho e o apoio dela. Ganhei um isopor para que eu pudesse vender refrigerantes. Depois foi a Sonia, que visitou a minha casa e viu a necessidade de uma reforma e me ajudou para que isso acontecesse, comprando o material para construção. Tenho fé em Deus que um dia serei voluntária da REPARTIR, para poder ajudar também, Minha vida mudou e agradeço de coração a todos, ao hospital, a escolinha e a REPARTIR”. Celinda fez até uma canção, que é cantada por ela e pelo Amorelly: “Repartir eu venho aqui te agradecer, agora sou feliz, por que eu encontrei vocês. Eu andava triste e só com a minha solidão. Agora sou feliz por ter Repartir no meu coração.”

top